A new chapter begins for China PR as Elkeson prepares to make international debut

Gabriel Tan Gabriel Tan

Brazil-born Elkeson is set to become the first player with no known Chinese ancestry to represent China PR when they take on Maldives in the 2022 FIFA World Cup qualifiers on Tuesday.

Having previously had no history of naturalising foreigners to play for the national team, the Chinese have had a change in approach recently.

Former Arsenal midfielder Nico Yennaris, now playing for Beijing Guoan and known as Li Ke, has already won two caps for China, while ex-Everton defender Tyias Browning joined Guangzhou Evergrande at the start of this year and is wating for FIFA clearance to represent Team Dragon.

Naturalised Elkeson wants to fire China PR to 2022 FIFA World Cup

But, with both of them possessing Chinese heritage, Elkeson is set to be the first fully-foreign player to pull on the jersey – which could happen on Tuesday when China open their second-round qualifying campaign for the World Cup against Maldives.

“I am very happy about this… and before it happened, I talked to my parents and family about the decision,” said the 30-year-old, who has adopted the Chinese name of Ai Kesen.

“All of them are very happy about the decision because, in the last almost seven years in China, I have dedicated all my abilities and all the efforts to Chinese football.

 

View this post on Instagram

 

Em 2013, ano dessa foto aí em cima, desembarquei na China. Um país em que apostava no desenvolvimento do futebol, até então desconhecido para boa parte do mundo, e que só havia participado de uma Copa do Mundo. Foi uma aposta, mas cheguei muito confiante no projeto do Guangzhou Evergrande e com muita vontade de fazer história. E as coisas aconteceram muito rápido. Nos três primeiros anos, fui tricampeão chinês e bicampeão da Champions League da Ásia. Artilheiro da Superliga em duas ocasiões, uma delas com o recorde de gols em uma edição, que segue até hoje. Além de ter sido eleito futebolista do ano de 2014. Foram muitas conquistas. Mas precisava de um novo desafio, queria ver até onde eu podia chegar. Em 2016, fui para o Shanghai SIPG, time que tinha acabado de subir para a primeira divisão e que tinha um projeto ambicioso. Foram três anos e meio, dois títulos, os primeiros do clube, e 116 jogos. Mais uma etapa de sucesso concluída. Mas eu queria mais. Queria retribuir todo o carinho que o povo Chinês meu deu nesses sete anos. Me sentia à vontade na China, como se tivesse nascido no país. Foi aí que chegou até a mim uma possibilidade desafiadora, mas que me deixou com a certeza de que seria o próximo passo a ser dado. A volta para o Guangzhou Evergrande, time que abriu as portas do país para mim, e a naturalização, para que eu ajude a seleção chinesa a disputar mais uma Copa do Mundo. Hoje, comunico a todos que, oficialmente, embarquei nesse desafio. Abri mão da minha nacionalidade para tentar retribuir todo o carinho que recebo aqui desde a minha chegada. Estou muito animado e empolgado. Conto com a torcida de vocês. Forte abraço, Ai Kesen 艾克森 🇨🇳

A post shared by Elkeson Cardoso 艾克森 (@official_elkeson09) on

“I am very happy to have a chance to play in the World Cup.”

Since first moving to the Chinese Super League in 2013, Elkeson has emerged as one of the competition’s deadliest strikers and won the Golden Boot in his first two years.

The former Botafogo man is also a three-time CSL winner and two-time AFC Champions League winner with Guangzhou Evergrande, whom he rejoined recently following four years with Shanghai SIPG that also reap a league title in 2018.

Comments